última hora

Curta produzido em parceria com projeto da UFOP vence concurso

6 de julho de 2018 - 02:27 | por Redação
Curta produzido em parceria com projeto da UFOP vence concurso
Cinema
0

“Não somos reconhecidas. Somos motivos de piada. Basta! Nós por Nós!”.  As expressões, que vão da exclusão à resistência, foram retiradas do curta “Deixa Ela Jogar”, produzido durante as oficinas do projeto “Polifonia: o Direito à Comunicação é Universal”, do Coletivo Mídia, Identidade, Cultura e Arte (MICA), em colaboração com o projeto de extensão da UFOP “Nos bastidores da notícia: mídia e cidadania (NBN)”. A produção foi uma das vencedoras do concurso pedagógico “Desconstruindo práticas machistas no cotidiano da escola” e foi desenvolvida com a participação das alunas da Escola Estadual de Ensino Médio Cabanas, em Mariana.

Influenciado pelo NBN, projeto criado pela professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM-UFOP) , Juçara Brittes, o MICA foi fundado em 2015 e, atualmente, é coordenado pela docente. O Coletivo visa contribuir para a emancipação humana por meio de ações ligadas à arte, à cultura e à comunicação social.

Ao falar sobre a participação das estudantes da E. E. Cabanas no concurso, Juçara afirma que o prêmio foi uma conquista muito significativa para as adolescentes. “Um estímulo como esse permite às participantes e aos familiares uma visão mais ampla da extensão como forma de trazer novas perspectivas futuras para os jovens& #8221;, avalia.

Do preconceito à resistência 

Com o tema “Empoderamento de Jovens Meninas”, o curta retrata a discriminação de gênero enfrentada por mulheres adolescentes que jogam futebol no ambiente escolar.

O resultado do concurso foi divulgado no mês de junho, e é visto por Ana Carolina dos Reis Catarino, estudante e participante do projeto, como forma de encorajar as mulheres a terem autonomia nos espaços que ainda são marcados pelo machismo. “Esse prêmio nos dá mais força para continuar, sempre lutar pelos nossos direitos. O projeto contribui para que eu me sinta mais empoderada ao expor minhas opiniões”, destaca. Por ser um ano de Copa do Mundo, Ana afirma que falar sobre o tema é uma forma de voltar a atenção às mulheres que ainda não possuem o devido reconhecimento no esporte.

O concurso foi realizado pela Secretaria de Estado de Educação, em parceira com a Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania de Minas Gerais (SEDPAC), e teve como objetivo debater o machismo e a importância da desconstrução dessa prática dentro das escolas.

Assista “Deixa Ela Jogar”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *