última hora

FAOP é homenageada na Câmara Municipal de Ouro Preto

26 de junho de 2018 - 23:03 | por Sergio Sanches
FAOP é homenageada na Câmara Municipal de Ouro Preto
Arte
0

A Fundação de Arte de Ouro Preto | FAOP será agraciada, no dia 4 de julho, na Câmara dos Vereadores de Ouro Preto, com o Diploma de Honra ao Mérito pelo seu aniversário de 50 anos. O projeto de homenagem foi apresentado pelo vereador Chiquinho de Assis.

O vereador destaca a importância da Fundação para Minas Gerais e para a cidade de Ouro Preto. “Muito nos honra, Ouro Preto ser a única cidade de Minas Gerais a receber do Estado uma unidade voltada, não apenas para formação artística, mas para salvaguarda das manifestações artísticas, arquitetônicas e culturais em Minas Gerais.”

A presidente da FAOP, Júlia Mitraud, salienta o legado da FAOP e a necessidade de sua continuação no incentivo às artes na região. “É muito gratificante ver um trabalho com essa qualidade acontecendo há tanto tempo e com vários momentos memoráveis. O aniversário de 50 anos da FAOP celebra uma trajetória com vitórias concretas e simbólicas”, comenta a presidente.

FAOP 50 anos

A ideia de criar uma instituição que valorizasse a tradição artística em Ouro Preto surgiu em 1968 com a reunião de alguns intelectuais brasileiros na cidade. O poeta Vinícius de Moraes, a atriz Domitila do Amaral e o historiador Affonso Ávila rascunharam o projeto que no ano seguinte seria formalizado. Em meio a um momento político tenso criado pelo golpe militar e suas políticas de censura, o então governador de Minas Gerais, Israel Pinheiro, nomeou o escritor Murilo Rubião como o responsável por implementar a FAOP.

Nesse mesmo ano, o casal de artistas Annamélia Lopes e Nello Nuno, recém chegados à cidade, foi convidado para trabalhar junto à Fundação. A escola de arte criada por eles viria a ser incorporada à estrutura do projeto de forma a levar o ensino da arte e a sua prática a mais pessoas.

Ainda nesses primeiros anos, o restaurador Jair Afonso Inácio, criou, na FAOP, o primeiro curso de formação de conservadores e restauradores do país. A iniciativa visava a oferta de mão de obra especializada para realizar os devidos diagnósticos e intervenções necessárias em obras históricas.

Atualmente

Ao longo destes 50 anos, a Fundação passou por diversas alterações e mudanças contando, hoje, com quatro espaços responsáveis por atividades específicas. Na Casa Bernardo Guimarães, local onde o escritor viveu, está localizada a presidência, as aulas do Curso Técnico em Conservação e Restauro e a Biblioteca Murilo Rubião; a Galeria de Arte Nello Nuno, em homenagem a um de seus fundadores, está localizada no bairro Rosário e recebe exposições de artistas convidados e via edital; O espaço do Núcleo de Arte, abrigado na Casa Pedro Aleixo, no bairro Antônio Dias, foi cedido pela família do ex-presidente e disponibiliza uma série de atividades, cursos e oficinas ligadas à música, teatro, cinema, fotografia, xilogravura, entre outras modalidades, para crianças, jovens e adultos; o Núcleo de Ofícios, localizado no bairro Cabeças, oferece o Programa ARO | Arte, Restauro e Ofícios, uma formação extraturno gratuita para alunos da rede pública com enfoque na construção de saberes artísticos e patrimoniais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *