255147828439789

última hora

Festival Hiphop.doc apresenta 6ª edição na cidade de Ouro Preto

14 de maio de 2019 - 14:59 | por Redação
Festival Hiphop.doc apresenta 6ª edição na cidade de Ouro Preto
Arte
0

Com programação gratuita, Hiphop.doc traz shows de Black Alien, Tamara Franklin e muito mais à Praça Tiradentes

Valorizar e fomentar a cultura e o movimento Hip Hop sempre foi a missão do Festival HipHop.Doc, que completa 14 anos de trajetória. O projeto, que já recebeu shows de grandes nomes, como Rimas e Melodias, MC Gaspar e Z’África Brasil, Julgamento, Família de Rua, Roger Deff, Bárbara Sweet e Zimun, este ano recebe ninguém menos que Black Alien, Tamara Franklin, Crônica Mendes e Negros da Nação, além de oficinas de música e grafite que buscam capacitar e aperfeiçoar os profissionais da cultura junto ao seu público.

O Hip Hop é um movimento fortemente representado pela música, a dança e o grafite, que teve suas primeiras manifestações durante a década de 1970, nas comunidades afro-americanas do subúrbio de Nova York. Com a África em seu DNA, o movimento nasceu nos Estados Unidos para o mundo, sendo hoje um dos estilos musicais mais fortes do mercado fonográfico mundial com seus rappers, MC’s e DJ’s. Não à toa, a 6ª edição do Festival HipHop.doc acontece no Dia Internacional da África, 25 de maio (sábado), dia que celebra a luta dos povos africanos por sua independência e emancipação.

Ao longo de sua história, o festival reuniu milhares de pessoas para apreciar a cultura Hip Hop, sempre apresentando ao grande público as novas promessas e destaques da cena. A última edição foi realizada em Belo Horizonte, no Viadulto Santa Tereza, nacionalmente conhecido como o palco do rap mineiro e berço de grandes artistas. O famoso Duelo de MC’s, principal atração daquela edição, já revelou dezenas de nomes do rap de Minas Gerais para o país. Além de Belo Horizonte, o festival já passou também pelas cidades mineiras de Barbacena, Itabirito e São Lourenço, e pela primeira vez será realizado em Ouro Preto/MG, na Praça Tiradentes, coração da cidade histórica.

Com shows de fortes nomes do rap, a 6ª edição aposta também em atividades de formação. O público terá a oportunidade de aprender sobre a história, técnicas e conceito do grafitecom o renomado artista visual Binho Barreto, através de atividades práticas. Além disso, terão uma rica experiência sonora com a oficina RabLabJazz, ministrada pelos músicos Marcelo Coelho, Crônica Mendes e Diego Silva. Barral Lima, CEO do Grupo UN Music, dá um panorama sobre a nova edição “O Rap junto ao Funk, é a música que mais cresce no país. A cada dia ocupa mais o seu espaço no cenário musical brasileiro, falando direto sobre o dia a dia do povo, principalmente da periferia. É a realidade nua e crua da nossa sociedade. Nosso projeto, há 14 anos, busca fortalecer e contribuir para disseminar e divulgar a arte do Hip Hop, que vai além do Rap, incluindo o Grafite, a street Dance e o DJ. Este ano, pela segunda vez, estamos descentralizando o nosso projeto e levando os shows e oficinas, para as cidades de Ouro Preto e Lagoa Santa em Minas Gerais. Desta forma buscamos, além de levar artistas nacionais e oficinas para incentivar os artistas locais, conhecer os novos talentos dessas cidades e incentivá-los para novas possibilidades artísticas-culturais em suas vidas.”

Com programação gratuita, o festival é realizado pela UN Music a partir de recursos da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais. Conta com o patrocínio da Oi e com apoio cultural da Prefeitura Municipal de Ouro Preto.

PROGRAMAÇÃO

Black Alien

Ex-integrante do grupo Planet Hemp, que contava ainda com nomes como Marcelo D2 e BNegão, Black Alien está em turnê do recém-lançado 3º disco solo, “Abaixo de Zero: Hello Hell”, e o apresenta pela primeira vez em Minas Gerais dentro do festival HipHop.doc. Produzido por Papatinho, mentor do grupo carioca de rap Cone Crew Diretoria, o novo álbum versa sobre a luta contra a dependência química, hoje sob controle, mas ainda presente na mente do artista. “Abaixo de zero – Hello hell” é um disco gravado com batidas que embutem referências de soul e jazz. Black Alien começou a cantar no início dos anos 90 e logo na sequência já possuía as credenciais de ter gravado com artistas como Paralamas do Sucesso à Sabotage, sempre com canto sinuoso e versos contundentes. Em 2004 lançou o seu primeiro álbum solo, “Babylon by Gus Vol.1 – O Ano do Macaco”, um clássico instantâneo. Após um hiato de quase 9 anos, Black Alien lançou o seu segundo disco, “Babylon By Gus Vol.2 – No Princípio Era o Verbo”.

Tamara Franklin

Dona de uma voz marcante, personalidade forte e um talento diferenciado, a mineira Tamara Franklin começou a escrever seus primeiros versos ainda aos oito anos de idade. No ano de 2005, aos 14 anos, Tamara fundou o grupo H2S2 (Hip Hop Sobre o Salto), que contava com o DJ Konja e sua irmã Winy Franklin na formação inicial. Em 2015, lançou “Anônima”, seu primeiro álbum solo. Incorporando em suas rimas batidas africanas de samba, baião de dois, reggae e até carimbó, Tamara Franklin é um dos grandes nomes femininos do rap mineiro. Atualmente, ela está prestes a lançar um novo álbum, intitulado “Você Fugio”, cujas referências vêm do congado.

Crônica Mendes

“Aos que Caminham” é o título do segundo e mais recente álbum do rapper e compositor Crônica Mendes. Com participações do carioca MV Bill, Adonai (Cidade Verde), Slim Rimografia, Luiza Chao, Helibrown e outros, o disco apresenta a versatilidade e maturidade do músico. Crônica iniciou sua carreira profissional no interior paulista, Hortolândia, onde, em 2001, passou a integrar o grupo GOG. Após cinco anos juntos nos palcos, criou o grupo “A Família” e se tornou nacionalmente conhecido com os clássicos Brinquedo AssassinoCastelo de Madeira e Fapa por Amor. Em 2013 lançou seu primeiro disco “Até onde o Coração Pode Chegar”, produzido pelo renomado DJ Raffa, e em parceria com a gravadora Bagua. Com presença de palco muito marcante e fortes interpretações, Crônica busca sempre ir além do rap com sua música. Dj Buiu Silveira e o guitarrista Diego Silva são peças fundamentais nos shows, que se tornaram dinâmicos, pesados e ao mesmo tempo poéticos.

Negros da Nação convida Felipe Realista, Mago da Rima e Carol

O Grupo Negros da Nação surgiu das periferias de Ouro Preto no ano de 2006, e ganhou espaço na cidade através da sua forma de expressar nos palcos. Com letras fortes e realistas, como “Nada Mudou”, o grupo busca passar uma mensagem positiva, ainda que denunciando a corrupção, violência policial e o crescimento dos uso de drogas nas populações carentes. Hoje é formado por Mano Guilherme e Mano Lino, e já abriu shows importantes da elite  do rap nacional como A Família (2008), Facção Central (2006), Liberdade Condicional (2007), e SNJ (2009) nas edições dos festivais Rap de Ouro Preto, o grupo também já promoveu nas periferias o projeto Comunidade Ativa de Ouro Preto no ano de 2007 e 2008 que percorreu os bairros Santa Cruz, Piedade, São Francisco (cachoeira do campo). O show contará com participações de Felipe Realista, Mago da Rima e Carol.

DJ Lysa Menezes

A DJ Lysa Menezes, de Ouro Preto, realizou diversas apresentações no carnaval da cidade em Março de 2019. Ocupando o palco do HIP HOP e do LARGO DO CINEMA com shows contagiantes, a artista, em sua performance, foi do funk ao axé buscando sempre alcançar as diversas faixas etárias do público. Os shows da DJ Lysa levaram todos a um “ecstasy carnavalesco” proporcionando uma agradável encontro com os ritmos dançantes da música brasileira.

Oficina | Arte em Grafite – história, técnicas e conceito com atividades práticas

A oficina consiste em uma aula expositiva sobre o graffite, sua história, técnicas e conceito complementado com atividades práticas in loco. Será ministrada por Binho Barreto, Bacharel em Artes Plásticas pela Escola Guignard (UEMG) e mestre em arquitetura pela Faculdade de Arquitetura da UFMG. Binho atua em diversas áreas que têm o desenho como interseção. É ilustrador, professor e, desde 1995, atua cotidianamente com o graffite.

Oficina | RapLabJazz: Uma experiência sonora

A oficina tem o objetivo de estimular que escritores e poetas da cena do rap e hiphop compreendam e percebam a sonoridade rítmica implícita nos textos que escrevem, sugerindo desta forma, outros procedimentos criativos. A partir da interação e criatividade dos participantes será trabalhado o processo de criação, gravação e maturação das diversas sonoridades do RAP e Hip Hop. Será ministrada pelos músicos Marcelo Coelho, Crônica Mendes e Diego Silva. Marcelo é considerado um dos músicos referenciais no cenário da música instrumental de vanguarda no Brasil. Vem participando de festivais de jazz na América do Sul, Europa e Estados Unidos, liderando diversos projetos em colaboração com músicos latinos, americanos e europeus. Crônica mora no extremo sul da zona sul de São Paulo, onde desenvolve o projeto Batalha das Fábricas (evento mensal de batalha de rimas), Rap Voz (uma série criada para o Youtube, em homenagem ao Rap nacional), além de agenciar sua própria carreira, e a de outros grupos vinculados a sua produtora independente, a GALUZ. Diego Silva já participou de bandas como: Kadabrah, Semi-acústicos, Thiago d Soul, Banda Plano B, etc. Já gravou com inúmeros grupos e MC do RAP, Preto Aplick CH, Mv Bill, Crônica Mendes, Marrom, Facção Central, Carta 1, Fernando Anitelli (O Teatro Mágico) entre outros. Diego Silva começou a tocar aos 13 anos. Em 2017, lança seu primeiro single instrumental intitulado “Tempo de Paz”. Hoje Diego Silva excursiona pelo Brasil com o Rapper Crônica Mendes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *